sábado, novembro 03, 2012

Metaaaallll


Tempos modernos



Depois de um longo período ausente, resolvi dar uma passada aqui no blog. Ficou bastante difícil manter o ritmo de postagens que outrora fazia, devido ao mestrado, cirurgia, trabalho e um porrilhão de coisas que vem acontecendo comigo. E olha que tem as mídias sociais que também não tenho conseguido fazer atualizações constantes.
Às vezes sinto uma certo cansaço - não sei se tem um termo adequado para isso - em relação a essa necessidade  de expressão na internet. Parece um contrasenso  falar em cansaço num dos  períodos onde o ser humano vem conseguindo cada vez mais  se expressar, mas parece que virou obrigação você ter um perfil nas mídias sociais, um blog, saber das últimas novidades tecnológicas, etc. Percebe que a quantidade de informações é tamanha a ponto de algumas pessoas - conheço gente que se enquadra neste rol - não terem mais contato ou evitarem o máximo a aproximação com o chamado ciberespaço.
Além dos simulacros e simulações (copyright Jean Baudrillard) que tornam a nossa vida cada vez mais fake, direcionando os contatos humanos através do virtual, percebo também a escravização que  vem sendo encaminha através do ciberespaço.
O que é um telefone celular senão um mecanismo de controle? E se tiver internet então? Poderão acha-lo em qualquer parte e seu tempo de ócio acaba por ficar alienado, ante as exigências profissionais ou compromissos sociais.
Dia desses estava lendo um livro que fazia referência a concepção de prisão do Foucault, o panótipo. O autor em questão fez essa relação com o mercado de trabalho, de como somos controlados. Antigamente você ia para um local de trabalho e tinha uma carga horária e outros mecanismos de controle para que a produção fosse executada. Hoje  há formas mais sofisticadas através da tecnologia. O seu local de trabalho por ser sua casa e não terá horas a cumprir. Entretanto terá que ser produtivo e isso demandará o tempo necessário que pode incluir às 24 horas se preciso for. O pior de tudo é que isso vem sendo feito a partir do consenso e muitos, como era o pensamento deste que vos escreve, acham maravilhoso. Tempos modernos!