domingo, setembro 25, 2011

The runaways

Só porque assisti o filme e pelo "talento" da banda.

A última grande banda de rock'n roll

Em tempos de festival do rock meia-boca e bandas coloridinhas, há tempo para lembrar da última grande banda de rock  que já passou pela terra. Falo isso com tristeza, pois detesto as bandas norte-americanas e o que tem hoje me dá vergonha.
O Nirvana, na figura de mister Kurt Kobain era uma mistura de depressão, vício, violência, genialidade, ousadia e, acima de tudo, atitude -algo que falta bastante para essa garotada arrogante que se diz roqueira - temperado com muita, mas muita heroína. Quase fui assistir ao único show feito no Brasil, durante um festival chamado Hollywood Rock, realizado no Rio de Janeiro, salvo engano em 1992.
Eu e meu irmão - que morava no Rio - fomos no primeiro dia ver Red Hot Chili Peppers, Alice and Chains, Defalla e Biquini Cavadão. Se juntasse tudo não daria o show de uma banda de rock descente, tal foi a merda que encontramos e ouvimos. Os norte-americanos estavam chapados de heroína e acho que os brasileiros também aderiram a loucura. Resultado: tirando o despresível nudismo do tal Edu K, do Defalla (alguém já ouviu falar dessa banda? acredito que não), os caras não fizeram nada que chocasse ou empolgasse o público. Ainda bem que nessa época minha miopia já começava avançar e não precisei ver certas coisa sob o risco de ficar lembrando e lamentar a grana perdida.
Na volta, ainda nas barcas - viagem Rio-Niterói - meu irmão encontrou um conhecido que reclamou pra cacete do show e de como foi quase assaltado na saída. Ao chegar em Nikiti City, uma piranha de quase 50 anos - chapada - se engraçou com meu irmão e depois deu em cima do cara. É claro que nenhum deles teve coragem de encarar a empreitada, pois tinha que estar muito doido para isso.
Por fim, paramos num bar, às 4 horas da manhã, para tomar a última cerveja. Esse colega do meu irmão disse que estava com ingressos para o show do Nirvana no outro dia e preguntou se queríamos, pois ele não iria mais. Meu irmão, virou-se para mim e perguntou:
- E então, está fim?
Cansado, levemente bêbado e com uma vontade doida de dormir, recusei e disse a ele que quando tivesse outro show, voltaria para ver. Lamento até hoje por ter dito isso.

Nevermind

Google+

Mal tenho tempo de dar conta deste blog - o Perdido em Laranjeiras está a deriva - e recebo o tão esperado conviete para o Google+. Como? Você não sabe o que é o Google+? É a mais nova arma do Google nas redes sociais, criada para enfrentar o Facebook. O orkut foi para as calendas, ficando restrito aos fakes e os mais novos alfabetizados digitais da classe C e D.
Sinceramente, até agora não me impressionou. Tem uma interface um pouco confusa, obrigando os mais desavisados a pesquisar como fazer suas postagens e participar dos círculos. O ponto positivo é o fato de que é uma rede social que tem tudo para crescer e vai se aperfeiçoar, já que o Google entrou de vez na briga com os concorrentes nesta área.
No quesito segurança, ainda não fiquei convencido. Recentemente estive em Pedra Azul e tive que acessar uma Lan House. qual foi a minha supresa ao abir meu email dois dias depois, e ver que um hacker FDP apagou todas as mensagens, deixando apenas uma "gracinha' para mim. Cheguei a mandar um email para o Google, para saber da possibilidade de recuperar meus emais. Estou esperando a resposta até hoje.

Correria

Com a correria que vem sendo a minha vida nos últimos meses, não estou tendo tempo nem de atualizar blog. Consegui arrumar esse tempo, mas estou deixando de fazer coisas. Nunca li tanta na minha vida, mas se tudo der certo, acho que valerá a pena.

Rock'n stole

Parece que a robalheira anda solta na festinha do senhor Roberto Medina. Como se já não bastasse ser assaltado pela organização deviso aos preços extorsivos, a gatunagem anda solta. Lembro bem da minha experiência no Rock'n Rio III, onde tive que encher a cara fora da área do evento, pois a cerveja - de uma marca vagabunda por sinal - estava a um preço absurdo. Isso é só uma prévia do que será a Olimpíada e a Copa do Mundo. Certamente, passaremos vergonha!
Esculhambação à parte, parece que do espírito de rock'n roll, ficou apenas a marca. Claudia Leitte cantando num festival por onde já passaram Queen, Iron Maiden, Judas Priest, ACDC, Whitesnake, Megadeath, dentre outras bandas de renome? Só pode ser mesmo a decadência daquilo que um dia já foi um dos maiores festivais do planeta. Vai ver o senhor Medina conseguiu criar o tal "axe metal". E tome dinheiro!

sábado, setembro 03, 2011

Um dia no CT

Faz um mês que estou inserido num projeto no departamento de engenharia ambiental e tenho perambulado bastante pelo Centro Tecnologico. Essa semana, presenciei um fato curioso: uma assembleia dos alunos do CT. É claro que a maioria dos participantes era formada de homem - aparentemente - mas nunca tinha presenciado qualquer organização dos alunos de lá. E olha que passei por três graduações e um pós! O pessoal está mobilizado contra a possibilidade de greve dos estudantes - isso mesmo que você está lendo - da Ufes e querem deixar bem claro que não vão participar. Achei curiosos os dizeres do líder que estava conduzindo a assembleia: "Gente, quando formos  para assembleia geral, por favor, sem violência, pois é isso que eles esperam da gente". Como assim?
Depois participei de uma apresentação de uma aluna que está saindo do laboratório. Falou um pouco do projeto em que estava inserido. Teve até comes e bebes.

Quando a poderosa encontra a criptonita

A superpoderosa Presidenta deparou-se essa semana com uma verdadeira criptonita. Depois de iniciar uma faxina em alguns ministérios, Dilma mãos de tesoura se empolgou com os cortes no orçamento 2012 e resolveu simplesmente não mandar  a previsão orçamentária do Poder Judiciário. Acostumada a não ser contrariada, a Presidenta deu início a uma celeuma que poderia ter trazido um séria dor de cabeça para seus próximos três anos de governo - se é que não vai querer se reeleger.
Eis que o Poder Judiciário despiu-se da toga e resolveu partir para uma espécie de "utlimate fight" entre os poderes. Servidores do judiciário e várias associações de magistrados deram aquela chamada em Peluso, o emburradinho, do tipo: "você é um home ou um rato?"
O resultado foi que Dilminha teve que voltar atrás e mandar o orçamento na íntegra para ser discutido no Congresso. A desculpa foi a "perspectiva de crise mundial" e, como sempre, o fato o do governo não ter recursos suficiente. Aliás, desde que me entendo por gente, o governo - seja em qualquer instância - nunca tem dinheiro.
O fato é que Dilminha teve que cumprir a constituição e aceitar o fato de que pode ser contrariada. Será que até o final dos quatro anos ela vai entender o significado da palavra democracia?

Mudanças no blogspot

Parrece que o Google resolveu tomar vergonha na cara e investir mais na configuração e uso de blogs. A nova interface mostra isso. Concorrência às vezes faz um bem danado.