sábado, agosto 27, 2011

Poderosos

Sessão nostalgia II

O outro lugar que me traz essa nostalgia é São Mateus, mais especificamente o CEUNES, extensão da Ufes a qual estudei também por quatro anos. Como fui a São Mateus resolver uns problemas e não tinha nenhuma foto do prédio - local que não visistava há mais de dez anos, resolvi dar uma passada por lá e documentar.

Sessão nostalgia I

Sou uma pessoa saudosista. Assumo! E sem tem uma coisa que faz ter essa sensação saudosista é a visita a lugares por onde stive, estudei, presensiei vários fatos, enfim que me trazem recordações - boas ou más. Nos últimos dias visitei dois deles. O primeiro foi o prédio do departamento de geografia, onde passei quatro anos e agora volto novamente como aluno. As coisas mudaram bastante, inclusive na parte estrutral.

sábado, agosto 20, 2011

Fausto Fawcett e Fernanda Abreu



Corrupção S.A.


Crise? Que crise?

E eu que achei que não ia estar vivo para ver essa situação. Só falta agora os  EUA pedirem ajuda ao FMI

Sai capeta!



De saída da Band, RR Soares diz que Ibope “é coisa do capeta”

A Band está perto de tirar o Show da Fé, do missionário RR Soares, do seu horário nobre. Com base na baixa audiência que o programa traz ao horário nobre, às 21h, a emissora não estaria disposta a renovar o contrato de locação do horário, que vence em dezembro. A informação é do blog Outro Canal, editado por Keila Jimenez e publicado na Folha.com.
O que ainda estaria segurando RR Soares na TV Bandeirantes é o lado financeiro, já que a igreja liderada por ele paga R$ 4 milhões mensais à emissora do Morumbi, diz o Outro Canal.

Queda sequencial
Em muitas ocasiões, a audiência da Band sofre queda no horário nobre. Antes das 20h30, a emissora segue com três pontos no Ibope e após o início do Show da Fé não atinge um ponto, dificultando o desempenho dos programas seguintes.

Discordância
De acordo com a coluna da Folha.com, o missionário, sabendo do argumento do canal para tirar o seu programa do ar no fim de 2011, está pregando contra o Ibope.
No programa desta quinta-feira (18/8), RR Soares disse que a medição de audiência “é coisa do capeta”, além de ter questionado a aferição dos dados via aparelhos instalados nas casas na Grande São Paulo. "Eles deveriam perguntar de porta em porta quem assiste os programas", ressaltou.
Fonte: Comunique-se


Quem fala o que quer...


“Na hora de falar de processo judicial, meu nome e foto saem na manchete”, contesta Rafinha

Renan Justi

A última edição do programa A Liga, exibida na terça-feira (16/8) na TV Bandeirantes, fez denúncias a respeito do trabalho escravo, ainda existente no Brasil. Em uma das reportagens, fornecedores da marca de roupas Zara foram acusados de exploração de mão de obra. O tema foi manchete na grande imprensa, que apenas creditou informações com base em documentos do Ministério Público. Essa conduta incomodou Rafinha Bastos, um dos integrantes da atração da Band.

“Saiu matéria sobre a Zara em vários veículos sem citar A Liga, mas na hora de falar de processo judicial, meu nome e foto saem na manchete”, publicou o jornalista, na noite desta quinta-feira (18/8) em seu perfil no Twitter. Rafinha faz menção ao episódio ocorrido no início de agosto, quando foi intimidado a depor após instauração de inquérito de incitação e apologia ao estupro. O integrante do CQC disse que “toda mulher estuprada é feia e que o estuprador devia ganhar um abraço”.

Até a edição final do programa, a equipe de A Liga levou aproximadamente cinco meses para produzir todas as reportagens. Apenas em São Paulo foram descobertas 33 oficinas clandestinas, cerca de 200 mil bolivianos trabalhando em condições precárias, alguns deles revelaram ao programa que a jornada de trabalho na confecção das roupas para a loja Zara ultrapassa 16 horas por dia. “Foi sem dúvida um dos programas mais importantes que gravei”, disse Rafinha, em vídeo exibido na página do programa.

Primeira denúncia
A produtora Eyeworks, quem dirige o conteúdo de A Liga e outras atrações da Band, informou, por meio da assessoria de imprensa, que a primeira denúncia ao Ministério Público partiu de um trabalhador. O papel da equipe de reportagem de A Liga foi o de acompanhar o trabalho de fiscalização do MP. De acordo com a produtora, a escolha de parte da imprensa, em não creditar informações ao programa, não foi justa.

"A Liga foi quem deu a devida cobertura para o caso. O jornalismo não deveria trabalhar como se ele tivesse apurado. Informaram como se tivessem dado em primeira mão”, lamentou a Eyeworks.
Fonte: Comunique-se

Não é de hoje que Sr. Rafael Ocsman Bastos vem arrumando confusão por causa de suas opiniões. Essa turma da liberdade de expressão sempre invoca esse direito quando a coisa aperta. É uma tentativa de conseguir salvo-conduto quando faz algo que dá repercussão negativa ou ofende alguém. O que eles – Rafinha e cia – não aceitam é o fato de que, mesmo sem qualquer mecanismo que regule a mídia, a justiça ainda é invocada e pode causar sérios aborrecimentos.
Acredito que o humor e outras formas de expressão não podem se sobrepor aos direitos individuais de cada, o que inclui a sua reputação e valores pelos quais acreditam.
Como diria Marcelo Tas, colega de Rafinha no CQC: “O processo judicial é o diploma do jornalista”. Isso vale também para humoristas.


Podridão FC parte II



Audios colocam CBF contra Globo

Não demorou muito para Ricardo Teixeira enviar um recado à Rede Globo após uma reportagem contrária ao presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) ser veiculada no Jornal Nacional, no sábado 13. Na matéria, o manda-chuva do futebol nacional é apontado entre os investigados pela polícia por irregularidades no amistoso entre Brasil e Portugal em 2008, em Brasília.
Segundo o jornal Folha de S.Paulo, Ricardo Teixeira se sentiu traído pela emissora e agora teria a intenção de divulgar gravações de conversas com o diretor da Globo Esportes, Marcelo Campos Pinto – feitas sem autorização -, que podem constranger a Globo junto aos espectadores e anunciantes.
Nas fitas, há evidências de como a Globo manipulou os horários das partidas de times e da seleção brasileira para que se adequassem a sua grade de programação. Além disso, Teixeira possuíria áudios de emissários globais fazendo comentários hostis contra as concorrentes Record e Bandeirantes.
A reportagem da Globo mostrou que os nove milhões de reais gastos no evento deveriam ter sido pagos pela organizadora Ailanto Marketing, criada pouco antes do amistoso, e não pelo governo do Distrito Federal.
Antes de o Jornal Nacional se manifestar sobre as acusações a Ricardo Teixeira, Milton Leite, narrador e apresentador da Globo e SporTV, comentou o assunto. “Chama a atenção o fato de Ricardo Teixeira considerar-se acima do bem e do mal, poderoso ao extremo, a ponto de menosprezar veículos de comunicação e autoridades sem a menor cerimônia”, disse em seu site pessoal. O profissional alegou que a sua audiência o cobrou por um posicionamento, mas não revelou se foi autorizado pela emissora a discutir o assunto.
Fonte: FNDC

sábado, agosto 13, 2011

Premeditando o breque

 Assim como o Língua de Trapo, o Premeditando o Breque é um dos expoentes da piada-canção deste país. Que Mamonas Assassinas que nada! O Premê fez algum sucesso na mídia na década de 80, mas depois continuou no underground
palistano e seus membros desenvolveram projetos paralelos. Abaixo, algumas de suas pérolas.


Participando da notícia

Equipe da TV Record é roubada em São Paulo

Da Redação

Dois homens em uma moto roubaram uma equipe da TV Record na madrugada desta quarta-feira (10/8), em São Paulo. Os bandidos, que estavam de capacetes, abordaram os profissionais que estavam dentro do carro da emissora, localizado na avenida Senador Teotônio Vilela, distrito de Cidade Dutra, zona sul da capital paulista, informa o site da Folha de S. Paulo.

A ação criminosa aconteceu a cerca de 200 metros de uma base da Polícia Militar. Segundo informações da Folha.com, um notebook que estava com o jornalista da Record, que não teve o nome divulgado, foi levado pelos assaltantes. Com o aparelho roubado, a dupla de assaltantes que abordou a equipe da emissora conseguiu fugir.

Com o roubo, a direção da Record, por meio da assessoria de imprensa, declarou que “lamenta o episódio e solicita a apuração do caso por parte da polícia”. A equipe de comunicação do canal não soube informar se mais algum pertence de seus profissionais, além do notebook, foi levado pelos criminosos.

De acordo com a Folha, a equipe da TV Record registrou boletim de ocorrência no 23º Distrito Policial de São Paulo, em Perdizes, zona oeste da cidade. Porém, contatado pelo Comunique-se, o responsável pelo atendimento do DP afirmou que o caso não foi registrado no local.
Fonte: Comunique-se

O pessoal do dízimo vai ter que trabalhar um pouco mais para pagar o equipamento

A selecinha

E a seleção heim!Vem coelcionando fracassos e vexames (não necessariamente nesta ordem). O jogo contra Alemanha chamou minha atenção para um detalhe: o time alemão estava sem Özil e Khedira, as revelações germânicas (eu disse germânicas, então tá) da última copa. Parece que o emprego do sr. Mano Menezes dura até as olimpíadas da Londres. E da-lhe Kajuru!

Deu no blog do Japiassu

O que Nêumanne sabe de Lula

Deu na coluna do Ancelmo Gois:

O livro de Lula

O escritor e coleguinha Fernando Morais vai escrever um livro sobre os oito anos de Lula no governo.
Num encontro, na semana passada, o ex-presidente garantiu ao autor de "Olga" e "Chatô" acesso à toda papelada governamental.
Janistraquis sugere que o biógrafo, conhecido desde a mais tenra idade como Fernando B (B de babaca), irmão mais moço de um dos primeiros professores de jornalismo do colunista, o genial e saudoso Carlinhos Wagner, pois Fernando deve, antes de escrever a primeira linha da biografia, ler o livro de José Nêumanne sobre o personagem; naquelas páginas aprenderá como é possível tratar o honoris causa da universidade de Coimbra sem o arroubo da bajulação.
O livro O que sei de Lula, de José Nêumanne (Topbooks), será lançado na terça, 16, a partir das 19 horas, na Livraria da Travessa, Rio: Rua Visconde de Pirajá, 572/ Ipanema. Tel.: (21) 3205.9002; o lançamento paulistano, também às 19 horas, será na terça, 23, na Livraria da Vila: Rua Fradique Coutinho, 915/ Vila Madalena. Tel.: (11) 3814.5811).


Seleção Brasileira
Ao final da derrota de 3 X 2 para a Alemanha, comentaristas apostavam que a lateral-esquerda da Seleção, ocupada pelo usurpador André Santos, agora tem dono: Marcelo, do Real Madrid.
Janistraquis discorda:
"O dono da posição se chama Cortês, o negão cabeludo que acabou com a defesa do Vasco na goleada diante do Botafogo."
É mesmo; se Cortês joga sempre aquilo tudo, o lugar é dele.

Uma honra
Montbläat, melhor revista eletrônica do Brasil, criada e dirigida pelo considerado Fritz Utzeri, transcreve esta coluna. É muito mais do que uma deferência; é uma honra.

Tossir&latir
No "país dos impostos", os remédios para nós, seres humanos, são taxados em mais que o dobro dos produtos de uso veterinário, o que originou esta sensacional boutade de Joelmir Beting no Jornal da Band:
"Se você entrar na farmácia tossindo, paga 34% de imposto; se entrar latindo, paga só 14%."

Fenômeno
Segundo o Painel FC da Folha, "Ronaldo fecha patrocínio para Fla e terá comissão de R$ 975 mil".
Janistraquis acha que, com tal facilidade para ganhar comissões, o Fenômeno assinará ficha no PT ainda este ano.

Camisão
Deu em tudo quanto é canto que a Preserv, fabricante de preservativos, mandou fazer uma pesquisa e resolveu fabricar o "camisão", com 5,8 centímetros de largura e 19 centímetros de comprimento.
Janistraquis ficou preocupado com o futuro da "Nova Classe Média":
"Quem tem c... tem medo, eis a verdade que não pode ser esquecida."

Genial autor
Título da Folha na segunda-feira de cinzas:
Com dois tentos de Loco Abreu, Botafogo goleia Vasco por 4 a 0.
O vascaíno Janistraquis comemorou:
"O genial autor do título aliviou bastante a nossa situação; dói muito menos levar dois tentos do que tomar quatro gols...".

Primeiro mundo...

Há um tempo atrás cheguei a discutir com um amigo que mora em Londres sobre o Brasil. Ele saiu daqui a cerca de dez anos e só esculhamba nosso país, enaltecendo as  da terra da rainha.
É claro que dou um desconto, pois meu amigo é uma das milhares vítima da era FHC, mas deixei bem claro a ele que sabemos que aquilo lá não é uma maravilha- ainda mais para imigrante.
Eis que ontem, ao entrar em contato com esse meu amigo, não perdi a piada. Segue o diálogo:
- Está sabendo dos tumultos aqui (Londres). O pessoal está quebrando tudo! disse meu amigo.
- Claro que estamos sabendo. Acompanhamos tudo o que acontece no primeiro mundo, onde tudo funciona , não há problemas e as pessoas são civilizadas.
Espero não ter perdido o amigo.

Brazilian Smurfus


O peso da notícia em tempo de pescoção



Editor da Veja é agredido por “lobista” do Ministério da Agricultura

Por Anderson Scardoelli

Entrevistar o empresário Júlio Fróes, durante o fim da tarde da última quinta-feira (4/8), não foi um bom negócio para Rodrigo Rangel, editor da sucursal da Veja em Brasília. Após ser ameaçado por Fróes, que é tido pela revista como lobista (pessoa, geralmente empresário, que visa ter benefícos por meio da política, subornando e ameaçando funcionários do executivo e legislativo) no Ministério da Agricultura, e, sem sucesso, tentar encerrar a conversa que acontecia em um dos restaurantes da capital federal, o jornalista foi agredido e teve um dos dentes quebrado.

Jornalismo, ameaça e agressão
Na edição desta semana, a Veja destaca a atitude agressiva de Fróes na seção “Carta ao Leitor”, que coincidentemente, na semana passada, abordou o trabalho da equipe do veículo em Brasília, que foi citada como “a sentinela avançada da luta contra a corrupção por meio de reportagens investigativas”. A revista afirma que o profissional cumpriu o papel do jornalismo, que era ouvir o “lobista”, citado em uma matéria da publicação como o responsável por manipular licitações do Ministério da Agricultura e subornar funcionários públicos.

De acordo com a própria revista, Fróes não aceitou ser questionado por Rangel sobre os benefícios que aparentemente tem dentro da pasta comandada por Wagner Rossi (PMDB) e ameaçou o jornalista, perguntando se ele tinha esposa e filhos. Tendo em mãos a entrevista que durou meia-hora e foi totalmente gravada, o editor tentou ir embora, mas foi puxado pelo braço, recebeu uma gravata, joelhadas na barriga e foi arremessado contra uma mesa. Não satisfeito, o agressor roubou o bloco de anotações do funcionário da Veja. (…)
Fonte: Comunique-se

Esse foi um dos assuntos da semana. Cheguei a conhecer Rodrigo ainda no curso de Comunicação da Ufes. Estava entrando e ele saindo, mas já galgava posições importantes na CBN. O pouco contato que tive com ele revelou uma pessoa atenciosa e muito astuta. Era uma espécie de golden boy do curso, mas sem as afetações costumeiras daqueles que se sentem o “máximo” e enchergam as pessoas como o “mínimo”. Poucas vezes conheci uma pessoa com vocação tão forte para uma profissão.
Acho que o episódio em si – e olha que detesto a Veja – reflete o risco que o jornalista corre ao fazer um trabalho de investigação mais detalhada da matéria. Até que ponto vale a pena colocar seu pescoço em risco?
É claro que há a adrenalina, a luta pela justiça, o prazer de fazer uma matéria bem feita e é claro, os benefícios profissionais que isso traz. Entretanto, com o passar do meses, o simples ato de ir a padaria comprar pão pode resultar numa emboscada, onde o desfecho é um tiro bem dado na nuca, por um assassino – provavelmente menor de 18 anos - , cujo inquérito poderá ter como desfecho uma tentativa de assalto. Tudo bem conveniente para lobistas e políticos que perderam a boquinha e ficaram bem chateados com uma matéria incoveniente.
Enquanto isso, durante uma homenagem póstuma ao jornalista assassinado, o editor-chefe – que não arriscou sua preciosa pele - irá discurssar na solenidade sobre o compromisso que a empresa tem com a verdade e o jornalistivo investigativo e certamente irá dizer: “A morte dele não foi em vão”. Fica a pergunta: será que vale a pena?

sábado, agosto 06, 2011

Me ajuda aí, pô!

Parece que um dos temas mais discutidos esta semana foi a passagem fugaz do apresentador Datena pela Rede Record. Há muito as partes vem se estranhando por causa de uma multa milhonária e o troca-troca – no sentido profissional – da Bandeirantes para Record não teve o efeito desejado por ambas as partes.  Ouvi esse tema até da boca do barbeiro em que costumo faz meu “ trato visual”. Sendo assim, para não deixar o assunto passar em branco, um pouco do Datena genérico, que pelo menos me faz rir. Mi dá ibagens, por favor!


I remember you, Gary Moore!

Ao navegar pela internet esta semana descubro que  Gary Moore faleceu este ano, em fevereiro. Quem é Gary Moore? Um dos maiores blues man e guitarrista que  existia na atualidade, com passagem por várias bandas e uma carreira solo de grande sucesso.  Morreu de ataque cardíaco na Espanha, em fevereiro, onde passava férias.
Moore era irlandês de Belfast e era mais conhecido na Europa e por quem gosta de blues, estilo que marcou sua carreira e onde realmente fez coisas marcantes. No Brasil era pouco conhecido, mas  chegou a emplacar um sucesso Still got the blues,  que foi tema de novela da Rede Globo nos anos 90. Esse  foi o primeiro sucesso dele que ouvi  e que me fez despertar a curiosidade pelo seu trabalho. Abaixo, uma singela homenagem póstuma a um músico genial e que vai deixar saudade.

Mudanças

Os últimos dias tem sido de uma intensidade que há muito não vivia. Intensidade marcada por mudanças que avalio como positivas e que atende a antigas aspirações. Espero estar trilhando um novo caminho para que portas se abram, pois desde 2008 só tenho levado – como diria um amigo – “tijolada” na cabeça.
Novos rumos e novas perspectivas profissionais e de estudo.

Inspirações

A conta da festa

Globo recebe R$ 30 milhões de governo e prefeitura do Rio para organizar festa da Fifa
Como denunciou o Portal UOL Esporte, a Geo Eventos, empresa das Organizações Globo e do Grupo RBS, vai receber R$ 15 milhões do governo estadual e R$ 15 milhões da prefeitura do Rio. A soma de R$ 30 milhões será para organizar o "Preliminary Draw". Neste evento será realizado o sorteio preliminar das eliminatórias da Copa do Mundo de 2014. A empresa foi contratada em regime de exclusividade pelo Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2014 para produzir e captar patrocínios para a cerimônia. A contrapartida que os governos municipal e estadual receberão é a colocação de banners e materiais com a "marca Rio" no cenário da festa, "além de receber na cidade um evento com visibilidade mundial".
O sorteio preliminar, "Preliminary Draw", será no dia 30 de julho, às 15h, na Marina da Glória (zona Sul do Rio), e será transmitido ao vivo para cerca de 200 países. Neste dia, movimentos sociais e defensores dos direitos humanos do Rio saem às ruas para protestar contra os efeitos negativos gerados pelos mega-eventos na cidade - e patrocinados pelo poder público. Dentre eles estão o custo de vida e aluguel cada vez maior; famílias sendo removidas de forma arbitrária e violenta; camelôs e ambulantes proibidos diariamente de trabalhar. A Marcha por uma Copa do Povo sai às 10h do Largo do Machado e vai até a Marina da Glória, para mostrar insatisfação frente ao cenário que se anuncia: desvio de dinheiro público, investimentos em obras grandiosas, mas inúteis após os jogos, benefícios apenas aos empresários e violações de direitos da população em geral.
Fonte: NPC